O alquimista

NEM TRANSMUTAÇÃO DE METAIS NEM ELIXIR DA LONGA VIDA - A PEDRA FILOSOFAL AO PODER

terça-feira, março 11, 2008




"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas..."

Guerra Junqueiro, escrito em 1886

2 Comments:

  • At 12:16 da tarde, Anonymous MJ said…

    Resta-nos ainda o pensamento livre...

    Como diz a canção:

    "Não há machado que corte
    a raiz ao pensamento
    não há morte para o vento
    não há morte."

    Beijo livre*

     
  • At 1:05 da tarde, Blogger alquimista said…

    De Alegre se fez triste...

    ...mas há sempre alguém que resiste
    há sempre alguém que diz não

    Beijo convicto

     

Enviar um comentário

<< Home