O alquimista

NEM TRANSMUTAÇÃO DE METAIS NEM ELIXIR DA LONGA VIDA - A PEDRA FILOSOFAL AO PODER

domingo, janeiro 28, 2007

PALÁCIO DAS SEREIAS ( ou dos Fidalgos da Bandeirinha ou Cunha Portocarrero)
Era um dos mais populares do Porto, pelas duas grandes SEREIAS graníticas que ladeiam a porta principal ( a que a população chamava As Mamudas), construído na transição do século XVII para o século XVIII. Situa-se em MIRAGAIA, de frente para o Rio Douro.

Ninguém jamais ouviu um canto igual
ao canto que te canto
escuta: as ondas e os ventos se calaram e a noite e o mar
só ouvem minha voz - a noite e o mar e tu
marinheiro do mar de rosas verdes:

Todas as deusas se entregam
ao amante que um dia possuiu uma deusa
e então todas as fêmeas dos homens
Helenas, Briseidas e a Penélope tua
hão de implorar às Musas - e as Musas a Eros e Afrodite
a volúpia de uma noite contigo.

Mas vem e vem dormir comigo
e comigo
e minhas irmãs e todas
as sereias do mar
as sereias da terra
e as sereias dos céus.

GERARDO MELLO MOURÃO

3 Comments:

  • At 10:34 da tarde, Blogger MJ said…

    "a que a população chamava As Mamudas"

    não habia nexexidade... as xereijitas nem son ton mamudas axim... hmmm...

    Um poema erótico?! Ó meu Alquimista!
    Tu andas encantado por alguma sereia... :-)

     
  • At 1:43 da manhã, Blogger Aspásia said…

    Concordo com a MJ...

    as sereias não são mais mamudas que o Fernando Mendes, coitadito, que até é muito simpático...

    Ah, já estou vendo que isto é um treino do Alquimista para os "jogos florais" da MJ...

    8-)

     
  • At 9:27 da tarde, Blogger alquimista said…

    Olá MJ:

    "Tu andas encantado por alguma sereia"

    Não serei a pessoa que mais aprecia esse tipo de peixe.
    Vou mais para o robalo grelhado, que a perca nem a feijões...

     

Enviar um comentário

<< Home