O alquimista

NEM TRANSMUTAÇÃO DE METAIS NEM ELIXIR DA LONGA VIDA - A PEDRA FILOSOFAL AO PODER

sexta-feira, março 16, 2007

MEMÓRIAS DE CROCODILO

Disse há tempos que não levava demasiado a sério os números das audiências ou os estudos de opinião, tendo na altura explicado as razões desta minha atitude.

Longe estava eu de imaginar que, passado pouco tempo teria de, qual político tarimbado, mudar radicalmente de opinião, mantendo aparentemente inalterado o discurso.

É que decidi publicar aqui, em primeiríssima mão, a esquerda penso, alguns excertos daquilo a que, pretenciosamente, resolvi chamar de “MEMÓRIAS DE CROCODILO”, que é nem mais nem menos do que uma tentativa, falhada eu sei, de transpor para o papiro grandes lembranças da minha pequena infância.

Naturalmente que, após as primeiras leituras, poucos de vós regressarão a este, até agora, acolhedor recanto.

E a contradição surge precisamente neste ponto. É que vou mesmo ter muitas saudades vossas...

Tenho perfeita consciência disso, é um risco (mal) calculado, mas a minha necessidade de catarse ultrapassa-me pela direita e a alta velocidade em direcção ao abismo…
Até sempre!



MEMÓRIAS DE CROCODILO


INTRODUÇÃO:

Os ramos já se vergaram ao peso dos frutos maduros. O material genético já cumpriu a sua missão. Faltava o livro para completar a troika de empreendimentos que nos validam o passaporte.

À margem dos lobbies instituídos, não engajado a qualquer corrente literária, sem amigos nas redacções ou nos fóruns das televisões, coloco-o nas vossas mãos, preso à corda de Egas Moniz ou ao machado de Antonieta mas nunca amolecido pela água de Pilatos.

Nele ireis encontrar pequenas histórias, que muitas tem uma infância, feitas de pequenos nadas mas que juntas deram tudo, com a certeza de ter lavado os olhos entre cada olhar.

Tomai e lede todos, que este é o fruto do meu saber, derramado para vós em nome da amizade, que só apuramos com a idade.

Que a boa leitura esteja convosco.

(Segue nos próximos capítulos…)

5 Comments:

  • At 2:54 da tarde, Blogger Maria Velho said…

    Então até sempre!Talvez um dia nos encontremos noutras paragens e possamos avaliar a sua ida...quem sabe a comer uns belos duns filetes de polvo ou de pescada na Casa Aleixo.
    Tudo do melhor para si!!!e não desista de buscar a pedra filosofal!!!
    Helena

     
  • At 5:35 da tarde, Blogger MJ said…

    Boa tarde doce Alquimista:-)

    "poucos de vós regressarão a este, até agora, acolhedor recanto."

    Isso era o que tu querias!
    Pensavas que te livravas de nós com essa facilidade toda?!

    Estaremos aqui até que a morte nos separe! :-)))

    Beijo expectante*

     
  • At 7:21 da tarde, Blogger alquimista said…

    Maria Velho:

    Tudo de bom para si também.

    Até sempre...

     
  • At 7:24 da tarde, Blogger alquimista said…

    João:

    "Estaremos aqui até que a morte nos separe"

    Por favor....... não façam isso!!!

    Detesto funerais...

     
  • At 12:11 da manhã, Blogger MJ said…

    Boa noite doce Alquimista:-)

    Para quando o 2º capítulo?

    Estou ansiosa!
    Ah!! Exijo ilustrações de tudo! :-)

    Beijo sonhador*

     

Enviar um comentário

<< Home