O alquimista

NEM TRANSMUTAÇÃO DE METAIS NEM ELIXIR DA LONGA VIDA - A PEDRA FILOSOFAL AO PODER

quarta-feira, maio 16, 2007

TRINTA ANOS ...

Seu Nacib, Mundinho, Tonico Bastos, Glorinha, Malvina, Jeruza, Chico Moleza, Coronel Ramiro, Coronel Jesuíno, Doutor ...

Vim do norte vim de longe
De um lugar que já nem há
Vim dormindo pela estrada
Vim parar neste lugar
Meu cheiro é de cravo
Minha cor de canela
A minha bandeira
É verde e amarela
Pimenta de cheiro
Cebola em rodela
Um beijo na boca
Feijão na panela
Gabriela
Sempre Gabriela
TOM JOBIM

6 Comments:

  • At 10:56 da manhã, Blogger MJ said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 10:58 da manhã, Blogger MJ said…

    Bom dia, doce Alquimista :-)

    E Portugal inteiro parava para ver a novela. Ficava suspenso do pequeno ecran...
    Enredo engenhoso, excelentes actores e aquele Português doce e, nessa altura, tão pouco familiar que, por vezes, se tornava imperceptível.:-)
    E claro! Quem ficava indiferente à sensualidade da Sónia Braga? :-)
    Pena que, trinta anos depois, apareça numa outra novela com o rosto "transfigurado" não pelas marcas da idade mas por ter decidido apagá-las através de uma cirurgia qualquer :-(
    "Gabriela"... gravada indelevelmente na memória de todos os da nossa geração :-)

    Beijo saudoso*

     
  • At 1:02 da tarde, Anonymous EX-TELEVIDENTE DE NOVELAS said…

    TCHIIII...

    JA PASSARAM 30 ANOS???

    POR ACASO SÓ COMCEI A VER JÁ IA A MAIS DE METADE...

    ENTRETANTO DESCOBRI ESTA CENA DELICIOSA...

    EÇA DE QUEIRÓS EM 'GABRIELA'

    BJS DE CANELA*

     
  • At 11:16 da tarde, Blogger alquimista said…

    Olá João:

    Sim, parece que parava tudo, incluindo o Conselho da Revolução e os debates na Assembleia.

    E foi desta telenovela
    que "adoptamos" o famoso e hoje tão vulgar "tudo bem ?"

    Recordo para além de outras igualmente deliciosas, a cena final em que o Dr. Mundinho, eterno adversário político do deposto Coronel Ramiro, assumiu os tiques autoritários deste e que ele tanto combatera, dando-nos ali mesmo a entender que o Poder é inebriante e muito poucos lhe resistem.

    Beijo desprendido

     
  • At 11:22 da tarde, Blogger alquimista said…

    Ex-televendas, desculpe, televidente :):) :

    Obrigado por estes 2 minutos de recordação...

    Bj

     
  • At 1:52 da manhã, Blogger Shelyak said…

    Tão bem que ainda me lembro desta novela... a primeira...e que então me conseguiu agarrar à televisão.
    Há quem diga que o primeiro amor é sempre o melhor ou especial; nos dias de hoje, ainda não sei se será verdade. Uma coisa, no entanto, sei: fica gravado na nossa memória, para sempre...
    É um prazer ler-te...
    Um abraço :)

     

Enviar um comentário

<< Home